Turquia. A visita do papa numa terra…. Assuncionista.

 

O recente viajem do papa na Turquia do 28 de Novembro ate o primeiro do Dezembro de 2006 foi uma boa oportunidade para fazer uma visita a nossos irmãos e irmãs de Istambul, para descobrir uma realidade de vida y para fazer uma reflexão sobre a actualidade da presença da Assunção nesse pais.
Foi no Istambul (a antiga constantinopla) onde todo iniciara para a missão do oriente, mesmos quando a primeira fundação em Turquia tenha feita 20 anos depois.
O premer assuncionista em chegar a esta cidade foi o Pai Galaber, o final do 1863, em 1895, o Papa Leon XIII confio aos assuncionistas a paroquia latina e grega de Kadikoy (a antiga Calcedónia, que actualmente uma pequena parte no oriente de Istambul), Uma anedota foi comentada uma conversação que foi feita perto de onde fica actualmente a igreja onde o pai Emanuel d’Alzon e o representante da época da “SantaSiege” o Pai abade Negri: queijo-se da diminuição dos cristãos pela contrariedades impostas pelos muçulmanos e exclamo-se “nenhum Cristiano vai ter o coragem do ficar aqui” mas o pai d’Alzon responde “meus filhos ficaram”.

Hoje mesmo Istambul e uma cidade de mas de 11 milhões de habitantes, em cada esquina pomos ver alguma característica da arquitectura árabe: si mesmo os tempos dos muçulmanos pomos-los bem lembrar pelos amplificadores colocados no alto dos pilares, aqui onde Deus chama-se Allah, apesar de isso esta cidade tem sido a cunha da fede cristina.


Aqui foi onde os pais da igreja tem definido o nosso “Credo”, chamado hoje “Credo de Nice-Constantinopla; foi na terra Turca, onde foram celebrados os sete primeiros concílios ecuménicos; foi em constantinopla onde são Juan Crisóstomo pratico como bispo, nesta cidade, pode-se sentir como gringo mas ao mas no mesmo tempo pode-se sentir como na sua casa, foi ate o 29 de maio do 1453 data da conquista da cidade pelos Turcos Otomanos, os habitantes chamavam a deus Jesus Cristo. Um a sensação d nostalgia com o desejo do dialogo mistura-se , o desejo de se-conhecer.
Nossa presença assuncionista nesta cidade multicolor e de muita população e em verdade como uma gota de agua no mar.
Actualmente, na comunidade tem dois pais o primeiro Xavier Jacob que fica aproximadamente nos 80 anos de idade mais tem vivido causai 50 o mais em Turquia e pelo pai Yves Plunian, de 73 anos de idade que chego a Turquia faz já 11 anos depois de ter ficado na moção do Brasil.
A comunidade das irmãs oblates fica agora com a irmã Francoise, a Irmã Odile e a irmã Mónica, a única nova actualmente na comunidade.
É uma realidade que faz envelhecer desde o ponto de vista da idade, a idade das religiosas mas também pelas vestimenta e o “Palazzo” que fica na comunidade certamente desde que iniciara a vida religiosa la, seguramente precisa de importantes trabalhos de restauração.
É triste ver o que fica gora da grande biblioteca bizantina, lá onde as gerações de assuncionistas trabalharam y onde a famosa revista de “Feitos de Oriente” fosse abandonada pela incapacidade de quem continuara com ela.
 

"Eu desejo aos representantes de outras comunidades eclesiásticas e de outras religiões que tem continuando presente connosco: ¿O como não pensar em os diferentes eventos que temos forjado la, como nossa historia?

Ao mesmo tempo, sento a necessidade de chamar de maneira particular aos numerosos estágios do Evangelho de Cristo que nos faz uma invitação para trabalhar na unidades em todas as disciplinas, na vida y na caridade."
Essas foram as palavras do Papa da igreja pronunciadas nela missa do primeiro de Dezembro a catedral do Santo Espírito, ele nos mestra como o dialogo inter-religioso são uma propriedade pelo Santo Pai.
o como não pensar nos diferentes eventos que se tem feitos aqui, de nossa historia, de muitas religiões, nesta terra não é somente a terra dos muçulmanos, é mesmo a terra dos cristãos e de todos os homens que procuram deus, para ficar tem que ter coragem, mais não falamos do coragem dos religiosos e religiosas que ficam hoje lá, eles já tem dado muito e não vão poder continuar dando o mesmo por muito tempo mias, eu falo do coragem da família da Assunção. A comunidade de Istambul, é um património que nos pertence, a família da Assunção. (religiosos, religiosas), por o que temos que sentir-nos desafiados.
Tem muito trabalho por fazer mas precisa de pessoas novas, sacerdotes que gostem de se comprometer.
Muitas são a senhas do tempo que nos mestra como a pesquisa do dialogo entre as religiões, como o compromisso de fazer novamente a unidade entre os cristãos, é o reflexo, da inspiração de Espírito santo que faz a invitação para continuar.
Não é nada fácil chegar como o tem dito os assucionistas de Turquia, o pais é oficialmente um pais que da a garantia da liberdade religiosa, mas na pratica quem não é muçulmano enfrenta-se a muitas discriminações.
Aqui precisa a necessidade de novos religiosos, e religiosas também laicas, sacerdotes que gostem de comprometer-se numa tarefa difícil mas muito interessante.
“meus filhos ficaram”
O desejo de nosso pai fundador pode-se continuar realizando, renovado pelas forcas novas.
p. C.

       

L'église de la communauté l'autel où a celebre la messe le Père d'Alzon hôtes de la communauté soeur Françoise

Le pere Ives et soeur Odile

La messe du Pape le1er décembre dans la Cathédrale du Saint-Esprit

La messe du Pape le1er décembre dans la Cathédrale du Saint-Esprit

Soeur Felicia, le P. Caludio, le P. Bernard, le P. Andrè, Enayr et le P. Xavier.

Soeur Odile et soeur Monica Benoît XVI et Mgr. Pelatre La bibliothèque de la communauté photo communautaire

HOME